Empresário Cacerense é preso acusado de ser líder de quadrilha de tráfico de drogas

Empresário Cacerense é preso acusado de ser líder de quadrilha de tráfico de drogas

Após intensas investigações, a Policia Federal e o Grupamento Especializado de Fronteira (Gefron), após uma grande apreensão de entorpecentes em Cácer

O boi gigante que chocou telespectadores de TV australiana e escapou do abate por ser ‘grande demais’
Conquista D’Oeste – Professor suspeito de abusar de alunas em sala de aula é preso.
Assembleia Legislativa aprova fim às sacolas plásticas em mercados

Após intensas investigações, a Policia Federal e o Grupamento Especializado de Fronteira (Gefron), após uma grande apreensão de entorpecentes em Cáceres no mês de abril, realizou diversos cumprimentos de mandados de prisão e de mandados de busca e apreensão, no dia de hoje (28), os mandados foram expedidos pela Justiça Estadual da Comarca de Cáceres (MT).

A deflagração da Operação CONTINUUM foi em Cáceres, porém mandados foram comprimidos também no município de Mirassol D’Oeste, o objetivo era a desarticulação da Associação Criminosa que atuava no tráfico interestadual de cocaína.

Em abril de 2017 Grupo Especial de Fronteira (GEFRON), realizou uma grande apreensão de Cloridrato de Cocaína, foram aproximadamente 515 kg, além de diversas armas apreendidas, esse fato chamou atenção das forças policiais que começaram uma investigação e o monitoramento dos criminosos.

9f7069ad-75af-4ba4-b2ad-ab2ecb4f397e.jpg

Os policiais encontraram um esconderijo subterrâneo supostamente utilizado como depósito secreto de drogas, armas e dinheiro.

Segundo as forças policiais um dos monitorados era o suspeito S. F. P. (41 anos), conhecido pela alcunha de “Samuca”, que de acordo com as investigações liderava associação criminosa.

No cumprimento dos mandados a PF efetuou a prisão das cinco pessoas e apreendeu diversos veículos, carretas e uma lancha. Em um sítio na zona rural de Cáceres, os policiais encontraram um esconderijo subterrâneo supostamente utilizado como depósito secreto de drogas, armas e dinheiro.Segundo as forças policiais um dos monitorados era o suspeito Samuel Ferreira Pereira (41 anos), conhecido pela alcunha de “Samuca”, que de acordo com as investigações liderava associação criminosa.

O nome CONTINUUM dado à operação foi devido ao seu significado que representa uma série de acontecimentos sequenciais e ininterruptos, fazendo com que haja uma continuidade entre o ponto inicial e o final. 

 

 

fonte: caceresnoticias.com.br

COMMENTS